Resistência à Crise

Há bem pouco tempo estávamos falando da crise financeira da Europa e destacando o quanto estávamos bem mesmo diante dos problemas do velho continente, porém, a palavra atravessou o oceano. Agora a crise está muito bem instalada no Brasil e como era de se esperar a presidente Dilma Rousseff junto com a sua equipe prepara um pacote de medidas para resistir o momento.

Resistência a Crise

Resistência a Crise

A verdade é que os economistas já no ano passado previam que seria inevitável tomar decisões mais sérias para controlar a economia brasileira e buscar o equilíbrio das contas. Se gastou muito e recebeu pouco e claro, a conta não fechou. Em resumo, o governo brasileiro precisa aumentar a arrecadação e diminuir os gastos. O que todo mundo deve fazer quando está devendo muito.

Evidentemente que tais medidas não passarão sem serem notadas, começando pelos empresários, os primeiros a sentirem e chegando à população. No caso dos empresários, a carga de tributos ficará mais alta e ainda, eles podem enfrentar menos investimento em infraestrutura e isso os afetará diretamente.

Porém, o pior caminho é encarar o momento com desconfiança ou pessimismo. É necessário encarar e mostrar-se resistente a crise. No caso dos empresários, mantendo os negócios. Se tem crise ela deve ser contornada e pronto e o mais importante que um empresário deve pensar agora é como driblar os problemas, as ações do governo, que serão consideradas duras, resistindo e sofrendo o quanto menos.

Visando esse momento de resistência a crise que será necessário por parte dos empresários, analistas e economistas criaram uma série de ações para que o período seja menos duro do que o futuro “promete”.

A seguir, confira dicas para chegar até o fim de 2015 sem ter sofrido tanto com a crise no país:

1- Quando se está dentro de uma crise e precisa resistir, o primeiro passo é diminuir os custos fixos para manter na medida do possível o equilíbrio. Isso significa acabar com qualquer tipo de desperdício. Por menor que ele seja, pode ter certeza que fará diferença no seu orçamento. As despesas devem ser diminuídas, evitar fazer novas ou se possível, adiá-las. Se você, por exemplo, tinha planos de comprar um objeto novo para a sua empresa, não é o momento.

2- Em momentos de resistência a crise é necessário segurar e gerenciar o melhor possível o capital de giro. E a regra básica e “esquecer” os bancos, nem pense em descontos de duplicatas ou empréstimos.

3- Segundo os especialistas é o momento de analisar a carteira e clientes e valorizar o máximo a sua imagem e marca diante deles. Neste momento, considere que a qualidade das vendas é mais importante do que o volume. Para quem tem negócio de varejo é o momento de fidelizar os clientes, através de programas simples e atrativos.

4- Para quem tem empresa que trabalha com vários tipos de produtos diferentes, pode ser o momento de diminuir esse “mix”. É melhor apostar nos produtos que dão maior valor agregado e de se for o caso, tirar de vez da sua lista aqueles que não dão retorno ou que até dão, porém, nada considerável. Produtos que não foram aceitos no mercado ou complicados para comercialização devem ser eliminados neste momento. O momento é de investir em diferenciação e criar novos serviços ou ampliar aqueles que já existem.

5- É muito importante, para empresas que produzem o que quer que seja, que trabalhem sob pedido e evitem de criar armazenamento. Pois ter que fazer saldos significa ter perdas na margem de lucro e durante uma crise isso é muito ruim para qualquer empresa.

6- Não deixar de vista o mercado e a concorrência. Durante uma crise os clientes vão atrás de crédito e menos de produto. Por isso, é o momento que o seu crédito deve ser competitivo. Faça ofertas observando os seus parceiros comerciais, qual é a “história” de cada um deles. Nesse momento tudo o que você não precisa é ter clientes que não pagam. Por isso, preste atenção nas informações que o seu cliente está passando. Atenda se possível não só com produtos, mas também oferecendo soluções. É hora de descomplicar para todo mundo.

7- É muito normal que na crise a empresa prefira diminuir os gastos com o pessoal, porém, aponta os analistas não é o melhor caminho. Tê-los ao seu lado é uma boa forma de superar o momento. Desde daquele funcionário que tem a menor função até o que está diretamente ligado às decisões importantes. É hora de envolvê-los em busca de resistir a crise, todos juntos.

8- Um plano de mídia de qualidade é um dos melhores investimentos para uma empresa durante a crise. Tudo aquilo que for novo ou que tenha sido desenvolvido deve chegar no mercado com a melhor imagem possível. É o momento de esquecer a mesmice e apostar em novas estratégias de mídia.

9- A sua equipe de vendas deve ser qualificada e ampliada, se for o caso. É muito importante que mais do que nunca eles saibam tudo do produto, as mudanças de preço e que acreditem no que estão oferecendo.

10- O que fortalece uma crise é a dramatização. A situação por si só é ruim e ponto e a ideia tem que ser melhorá-la e não buscar fazê-la ainda pior. Lembre-se que por pior que seja o momento o país vai superar, não é que vai acabar e a sua empresa deve ser forte para esperar que a superação aconteça. Sofrendo sim, mas o menos possível. Drama, pânico, decisões drásticas impensadas é a pior coisa que um empresário pode fazer nesse momento.

É o momento de fazer mais e falar menos. Se for o caso, busque uma consultoria e aprenda a lidar com a sua empresa e funcionários. Analise o que foi feito até então, como estão reagindo as outras empresas e depois siga com a sua.

Obviamente, não queira no momento de crise ter os mesmos lucros de antes. É um momento de cautela e de se conservar o mínimo de lucro possível e mais, evitar “somar” dívidas para o futuro.

Brasil tem sido alvo de muitas noticias no que se refere a sua resistência a crise econômica que assolou o mundo sendo que hoje, terça-feira dia 7 de julho o jornal britânico sobre economia dedicou um caderno especial de quatro páginas a nosso país onde a noticia principal tinha como titulo: Dançando através da crise econômica global. Este caderno especial dá um destaque importante à resistência que a economia brasileira vem tendo com a crise. Também comenta a respeito do consumo do país e não foram deixadas de fora as crises no Congresso. Realmente o aumento do consumo no Brasil deve chamar bastante a atenção, pois em época de crise e com a carga tributária alta como temos no país é admirável que o consumo esteja em alta. Ainda hoje vendo dados do comércio li a noticia de que as vendas aumentam no inverno e que o mês de junho apresentou o melhor desempenho do ano. Por tudo isso é que a resistência a crise no Brasil vem sendo observada, pois são muitos os países que ainda não conseguiram dar o rumo certo as suas economias depois da crise financeira.

Congresso Nacional

Congresso Nacional

O jornal dá destaque ao fato do Brasil não ter diminuído seu consumo resistindo à crise de maneira surpreendente e dando destaque também ao crescimento do Nordeste brasileiro. O Brasil ofereceu resistência à crise, porém as medidas de ajuda foram prontamente tomadas na hora em que os primeiros sinais de dificuldades começaram a surgir e o jornal destaca o fato da indústria automobilística ter tido dificuldades e somente ter reagido após a isenção do IPI para o setor. Na verdade o Brasil ainda vem tentando uma Abertura ao Comércio Global sem, entretanto alcançar resultados mais significativos, mas financeiramente o país está muito bem basta ver que sequer se abalou com o corte da CPMF e vejam que não era pouco dinheiro o que deixou de arrecadar, mas o presidente Lula tem sabido tomar as medidas certas muito a tempo para evitar efeitos maiores com as crises.

Crise Financeira Mundial

Crise Financeira Mundial

De acordo com a nota o Brasil é considerado uma democracia bastante madura, com economia diversificada, mas a resistência a crise e o fato de que o Brasil está saindo da crise antes do esperado não quer dizer que nada aconteceu, pois na realidade muitos estragos foram feitos e na está livre de sofrer novas retrações. Os comentários também chegaram a crise do Senado onde fica difícil entender toda essa corrupção coexistindo com esse Brasil moderno que desponta para o sucesso. São ainda destacadas as medidas que o governo tomou e que ajudou o Brasil na resistência a crise. Entre as medidas estão, redução de IPI sobre carros o que alavancou a indústria automobilística que está com ótimo desempenho, essa redução se estendeu ainda aos eletrodomésticos cujas vendas estão em alta e também aos materiais de construção e embora ainda não tenha se tornado um montro da construção civil, esse setor também já está dando sinais de recuperação embora de maneira mais lenta. Bolsas e bancos, no Brasil operam de maneira mais conservadora o que possibilitou a continuidade do funcionamento através da crise como destaca o jornal britânico.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Medidas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *