Seguro Agrícola Ampliado

Lembro-me muito bem o que me dizia o Professor de Geografia Econômica, na Universidade Federal de Rio Grande, no RS. O maior seguro agrícola do agricultor é a diversificação de cultura, e contava-nos de sua experiência quando fez estágio de pós-graduação na Europa, na Suécia, mais precisamente. Lá, dizia ele, o agricultor cria galinhas, porcos e gado, cujos dejetos são aproveitados para o adubo orgânico e na agricultura, dedicam-se a pelo menos seis culturas diferentes, observado sempre a rotação de cultura, sempre pensando em um Negócio Futuro. Aqui no Brasil, se faz necessário o Seguro Agrícola Ampliado, por razões obvias a monocultura.

Seguro Agrícola Ampliado

Seguro Agrícola Ampliado

Nosso agricultor é arrozeiro ou é sogicultor, praticando sempre o cultivo de apenas um produto. Daí decorre a falta de segurança, não só do risco dos preços não corresponderem como a própria produção ser afetada pela variação do clima, que acaba jogando o agricultor a própria sorte. Eu sempre digo aos agricultores aqui do RS, principalmente aos orizicultores que predominam na minha região, que eles são pessoas de muita coragem, pois jogam milhões de reais em suas lavouras e ficam esperando a Lagoa dos Patos não salgar, pois se isto acontecer, ficam sem água para a irrigação. Assim sendo, só com seguro agrícola ampliado, pois a agricultura não está com IPI reduzido e o dinheiro sai da terra mesmo. Para conseguir sobreviver no mercado é preciso ser um bom Empreendedor Individual e conseguir superar todas as Cargas Tributárias.

Empresa

Empresa

A bem da verdade, a grande maioria dos arrozeiros do RS, não depende da Lagoa dos Patos para irrigação de suas lavouras, embora muitos dependam. Mas o foco principal é a necessidade de um seguro agrícola ampliado para os lavoreiros que no Brasil, no meu ponto de vista falta a pluralidade de culturas. O sujeito que só planta cebola esta sujeito a perder tudo pelas intempéries ou pela falta de preços na comercialização, pois a cebola não espera, colheu, tem que vender, não adianta BB com mais crédito ou prorrogação de prazo. Aquele que diversifica suas culturas, sempre em uma delas, alcança sucesso o que lhe dá certa segurança. O lucro de uma cobre os prejuízos de outras. Na Europa, o grande produtor rural, planta no máximo 300 ha, numa pratica intensiva, ao contrário da nossa agricultura extensiva que demanda de muito mais recursos, sendo os prejuízos, também maiores e consequentemente, mais necessidade de seguro agrícola ampliado. É bom lembrar que investir em diferentes campos gera certa Resistência à Crise além de fortalecer ainda mais a Economia do negócio.

Economia

Economia

Volto a insistir que o nosso grande problema e que acarreta, inclusive, seguro agrícola ampliado, é a nossa cultura extensiva, com o plantio contínuo de grandes áreas, embora exista crédito bancário especifico para a agricultura. Há pouco tempo, voltava do Pantanal e me chamou a atenção o fato de seis tratores Engesa, um atrás do outro, lavrando uma grande extensão de terras. Parei o carro e me dirigi a um dos tratoristas que me passou a informação de estarem lavrando 4 mil hectares para o plantiu de soja e cuja lavoura pertencia ao Ministro da Agricultura da época. Quanto este cidadão colocou em risco em sua lavoura? Mesmo que tenha financiado através de banco de crédito agrícola, terá que pagar, mesmo que não colha. Isto justifica plenamente o seguro agrícola ampliado. Por tudo isto é que o seguro agrícola se torna uma necessidade para a agricultura.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Mercado

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *