Facebook

Atualmente, não existe uma pessoa no mundo que nunca tenha ouvido falar sobre Facebook. A rede social mais famosa e poderosa do planeta tem demonstrado sua hegemonia ao longo dos anos adquirindo os possíveis concorrentes como Instagram e WhatsApp e oferecendo inovações como a possibilidade de chamadas de vídeo. Se essa ainda será a rede social mais popular do mundo daqui uma década não temos como saber, mas certamente é um dos grandes cases de sucesso das últimas décadas.

Facebook

Facebook

Como Surgiu o Facebook?

O primeiro nome da rede social foi Facemash e resultado do trabalho dos colegas da Universidade de Harvard, Estados Unidos: Mark Zuckerberg, Chris Hughes, Eduardo Saverin e Dustin Moskovitz no ano de 2003. A ideia tinha inspiração num caderno feito manualmente em que os estudantes colavam fotos suas e algumas descrições para que passasse se mão em mão para que todos se conhecessem.

Quando o Facemash surgiu como uma rede social exclusiva para os estudantes da universidade promovia ‘competições’ entre os estudantes em que fotos de dois indivíduos eram postas lado a lado e o usuário clicava naquele que acreditava ser o mais interessante ou mais bonito. A base de dados da rede social foi obtida por Zuckerberg que já no segundo ano de estudos conseguiu invadir a rede de segurança de Harvard e roubar as fotos e dados dos alunos.

A Reação de Harvard

Quando o Facemash foi ao ar se tornou um grande sucesso entre os estudantes e logo a direção da universidade tomou conhecimento. Os diretores da instituição fecharam o site e deram início a um processo de expulsão de Zuckerberg pela invasão e roubo de dados da universidade. Passado algum tempo as acusações foram retiradas e o promissor aluno continuou os seus estudos.

Nasce o Facebook

O relançamento de sua ideia com o nome Facebook se deu no ano de 2004, Zuckerberg entendeu que a ideia tinha grande potencial e resolveu estender o alcance da rede. Não existia mais a restrição para que somente estudantes de Harvard participassem. A expansão da rede social foi feita em equipe sendo que o brasileiro Severin ficou responsável por tomar conta da área comercial do negócio. O design gráfico da página foi um trabalho de Andrew McCollum. A programação ficou sob o comando de Moskovitz e a promoção do site ficou para Hughes.

Sean Parker X Eduardo Severin

Uma das controvérsias mais famosas em relação ao Facebook foi o desligamento do brasileiro Eduardo Severin por Zuckerberg. Quando a ideia da rede social se tornou séria Mark viu em Severin a figura mais assertiva para a área comercial pelo fato de o amigo vir de família rica podendo custear os gastos com os servidores necessários e porque ambos são judeus.

No entanto, quando em 2005 Sean Parker, fundador do Napster, entrou em cena Zuckerberg não hesitou em tirar Severin da empresa. Parker mostrou ao inventor do Facebook um estilo de vida cheio de glamour e se tornou o investidor anjo da empresa assumindo também o papel de presidente da companhia. Zuckerberg instruiu seu advogado a ludibriar Severin lhe tirando os 30% que tinha da empresa. Quando o brasileiro descobriu que havia sido passado para trás com tamanha deslealdade reagiu.

Severin X Zuckerberg

O fato de Severin não ficar em silêncio e insistir que ainda era dono de 30% da empresa fez com que o Facebook abrisse um processo contra ele. A resposta do brasileiro foi processar a empresa de volta. Após muitas brigas houve um acordo entre os ex-amigos sendo que Severin ficou com 5% de participação no Facebook e tem seu nome com status de co-fundador da rede social nos descritivos da empresa.

Roubo de Ideias

Não foi somente com Severin que o fundador do Facebook teve problemas e foi acusado de agir com desonestidade. No ano de 2004 Zuckerberg já havia sido acusado de roubo de ideias para a criação da sua rede social por três alunos da Universidade de Harvard: Divya Narendra e os gêmeos Cameron e Tyler Winklevoss.

Os estudantes alegaram que o jovem fundador do Facebook copiou ideias que eles usariam para uma rede social chamada ConnectU. Não se tem muitos detalhes da história, mas Zuckerberg preferiu chegar a um acordo extrajudicial com eles. Apesar de todos os escorregões para chegar onde está o fundador da principal rede social do mundo demonstrou habilidade para comandar o seu império.

Facebook – Comprando Outras Redes Sociais

Quando uma nova rede social ou aplicativo se torna popular ou tem potencial para isso aparece Mark Zuckerberg e compra. O objetivo é claramente manter a hegemonia do Facebook e acabar com a concorrência. Nos últimos 10 anos a rede social não só cresceu como expandiu os seus braços oferecendo uma série de possibilidades como marcar os amigos numa foto, indicar onde está por meio de check-in entre outras.

Confira a seguir algumas das aquisições feitas pelo Facebook nos últimos anos e como a empresa se tornou mais forte.

  • Sharegrove – Mensagens Privadas

No ano de 2010 Zuckerberg comprou esse aplicativo que permitiu ao Facebook ter mensagens privadas para que seus usuários compartilhassem entre si conteúdos em tempo real.

  • Beluga – Conversando em Grupo

Tantas vezes os grupos do Messenger são fundamentais para combinar de sair ou mesmo resolver assuntos de trabalho, isso se tornou possível devido a aquisição desse aplicativo de conversas em grupos.

  • Octazen – Localizando Amigos

A compra desse aplicativo se deu no ano de 2010 e um dos seus principais recursos foi adicionado pelo Facebook que passou a localizar os amigos usando seus e-mails.

  • Divvyshot – Marcando Amigos nas Fotos

Sabe quando você marca os seus amigos em fotos no Facebook? Agradeça a compra desse aplicativo feita em 2010 por seu fundador.

  • Hot Potato – Check-in

Fazer check-in no Facebook só é possível porque Zuckerberg comprou esse aplicativo que é semelhante ao Foursquare.

  • Instagram – O App Visual

Para comprar o app de compartilhamento de fotos Zuckerberg precisou desembolsar mais de US$ 1 bilhão e não mudou quase nada no seu funcionamento. A grande sacada do empresário foi manter a forma de usar o Insta permitindo que as fotos fossem compartilhadas no Facebook.

  • WhatsApp – Mensagens Instantâneas

Para comprar esse app de troca de mensagens instantâneas Zuckerberg pagou US$ 16 bilhões e não alterou quase nada também. Trata-se de um excelente investimento haja vista que o Whats oferece grande receita ao Facebook.

  • Óculos VR – O Aplicativo do Futuro

E para quem está curioso para saber o que o Facebook nos reserva para um futuro próximo vale a pena saber que Zuckerberg adquiriu uma empresa cuja especialidade é a criação de óculos de realidade virtual.


Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Negócios

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *