O Que é RLP Ativo, e Pra Que Serve?

  • A Função das Corretoras no Mercado de Ações

Cada dia mais pessoas estão entrando no mercado de ações em progressão mais acelerada, e fazendo aportes e operações mais conscientes. A bagagem de conteúdo direcionado a iniciantes,ou investidores de nível intermediário, são impulsionadores para indivíduos que até então jamais tinham sonhado em entrar para a bolsa, e agora estão em meio a este boom. Boom este que no Brasil alcançou patamares até então inimagináveis com relação ao nível de fluxo, e número de investidores envolvidos com o mercado de ações. No meio desse turbilhão, intermediando e tornando esse aumento possível, estão as corretoras.

As corretoras são intermediárias entre indivíduos que estão realizando aportes ou operações no mercado de ações, e o capital aberto das empresas, Além do capital, as corretoras possibilitam compras de fundos, moedas estrangeiras, e muitas outras opções. Esse papel realizado pelas corretoras é de suma importância, e tem ganhado cada vez mais notoriedade frente a toda a tradição que os bancos possuem. Um dos maiores chamativos, é que fundos extremamente conservadores, são bem mais lucrativos do que a poupança. Esse tipo de informação, com o advento da internet, tem chegado a um número cada vez maior de pessoas, e assim possibilita que o mercado de ações se torne mais popular.

O primeiro passo para qualquer pessoa que deseja investir na bolsa valores, é abrir conta em uma corretora. Visto isso, e a quantidade cada vez maior de corretoras no mercado, é importante tomar a decisão de selecionar uma dessas corretoras. Não existe a melhor corretora, mas existem corretoras que fornecem uma determinada quantidade de serviços, e assim possibilitam que esses serviços atendam as necessidades de cada um. No resumo da obra, a escolha de uma corretora deve girar em torno das necessidades de cada tipo de aspiração no mercado de ações.

Corretoras no Mercado de Ações

Corretoras no Mercado de Ações

Um investidor pode querer investir em renda fixa,  pode que querer entrar para o mundo dos fundos de investimentos, ou para as rendas variáveis. Os fundos imobiliários também entraram para o hall dos grandes favoritos dos investidores, e além disso outro mercado que tem crescido fortemente é o da negociação constante de ações. A variância do preço de uma ação, varia muito em uma semana, em um dia, e até em poucas horas. Observado essa variância, investidores conseguem captar a essência dessa alternância de valores, e dessa forma, comprar e vender ações em seus picos positivos e negativos previstos, acumulando lucros, no final da semana, ou até mesmo do próprio dia.

  • O Que São os Mini Contratos de Índice Dólar

Uma alternativa bastante frequente na vida de um operador investidor no mercado de ações, são os minicontratos. Estes são uma excelente alternativa, para aqueles investidores iniciantes ou que não contam com muita  condição de fazer um aporte alto na bolsa de valores. Através destes que possuem um risco elevado e curto prazo de vencimento ( por estarem ligado a renda variável), índices e moedas são negociadas em lotes reduzidos, para que ocorra uma liquidação em data futura.

Resumindo, nesta operação ocorre a negociação de minicontratos das moedas, e não propriamente falando dos ativos. Isso tudo se baseia em uma data futura que tem prazo estipulado no minicontrato. Dessa forma a rentabilidade esta baseada no preço pago no momento da compra, e do valor que o ativo estabelecido no minicontrato terá na data de vencimento. No caso de um minicontrato de índice dólar, o ativo envolvido no minicontrato, é a moeda americana.

Este tipo de mercado futuro, apresenta sem dúvidas, um nível de operação de alto risco. Contudo, apresenta para os que não possuem grande capacidade de aporte financeiro, uma alternativa para obter rentabilidade em curto prazo. Essa é mais uma forma de obter lucratividade no mercado de ações.

  • O que é o RLP e Como Funciona

    RLP

    RLP

Depois que falamos sobre o quão necessário e insubstituível, é a criação de uma conta em corretora, a importância e tudo mais, podemos entrar em um tema bastante constante na vida do investidor depois de algum tempo de operação no mercado de ações, o RLP ( Retail Liquidity Provider). O RLP consiste do significado “Provedor de Liquidez para o Varejo”, é um produto desenvolvido pelo mercado em parceria com a B3, a instituição que regulariza o mercado de ações no Brasil. Este faz com que as corretoras proporcionem ao cliente, maior liquidez nas operações de mini contratos, com a garantia de que o preço seja sempre igual ou melhor ao book de ofertas.

O RLP funciona de forma a facilitar a operação de ordem de contrato de índice dólar. O RLP aumenta as chances de que as ordens de compra sejam executadas nos melhores preços, e o mais rápido possível. Uma outra facilidade que talvez seja a mais convincente para que os investidores utilizem o RLP, é que ele proporciona corretagem zero para os investidores, que operam minicontratos. Para poder utilizar o RLP, é preciso se orientar de acordo com as normas de sua corretora. Cada corretora, apresenta uma maneira de ativar o RLP.

O RLP vem sendo nos últimos tempos, a grande propagando da maioria da corretoras. Esse novo serviço tem sido utilizado pelas mesmas corretoras, para atrair investidores, que buscam rentabilidade na operação de mini contrato de índice dólar. Mas existe risco na ativação do RLP? A corretora ganha algo por trás disso?

A RLP foi aprovada pela B3 em 5 de agosto de 2019. Este provedor de liquidez que visa facilitar as operações, já era fornecido com outro nome pela XP no Brasil, facilitando as operações. Além de facilitar, a corretora também tem a função de obter rentabilidade para o cliente. Ou seja, se você comprou o minicontrato por 5 reais, ela tem que vender em pelo menos 5,01. O RLP garante que o prejuízo não aconteça na operação de minicontratos. Essa é a essência do RLP.

Visto isso, o investidor não consegue escolher para quem vender, quem faz esse direcionamento é a corretora de forma aleatória, na teoria. O ponto de vantagens é claro, porém a B3 regulariza que a corretora não pode escolher quem será o comprador dos minicontratos. Especialistas analisam que na verdade essa regularização pela B3 não parece ser muito fácil de ser executada. Contudo a liquidez com certeza se torna maior com essa alternativa fornecida pelas corretoras.

  • É Aconselhável Utilizar o RLP?

Em teoria, as normas estabelecidas pela B3 não permitem que uma corretora escolha quem será o comprador. E também o máximo do volume operado por RLP, deve corresponder a 15% do total dos minicontratos.

Se a aleatoriedade das operações realizadas pelas corretoras se confirmarem, podemos dizer que sim, o RLP é muito bom e completamente favorável ao cliente, fazendo com que os compradores, obtenham de fato uma liquidez, independente de o cliente ser ou não lucrativo nas operações. Contudo, se houver possibilidade de as corretoras, manipular quem compra, e fornecer liquidez a determinada pessoa, o RLP pode ser um pouco danoso.

Resumindo: especialistas aconselham o uso do RLP. Contando que, as corretoras de fato sigam as normas estabelecidas e estipuladas pela B3. As operações de minicontratos costumam variar a lucratividade em questão de milissegundos, e estar atento as alternativas, é sempre essencial para um investidor que tenha a intenção de ser lucrativo a longo, e neste caso em especifico, em curto prazo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Negócios

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *