Economia do Haiti, Pib, IDH e Negócios

Economia do Haiti, Pib, IDH e Negócios

  • Conhecendo o Haiti

O Haiti é um país localizado na América Central, na parte insular do continente, e partilha a parte ocidental da ilha de Hispanola, com a República Dominicana. Essa parte insular é denominada Caribe, e é composta de alguns outros países. O nome Haiti provém da palavra “Ayiti”, que era o nome dado pelos índios daquela região (os taínos), para aquela ilha.

Se tratando de uma colônia francesa, a “République d’Haiti”, o país é chamado pelo país colonizador, de “La Perie des Antilles” (quem em português significa “ A pérola das Antilhas”). Esse nome se dá devido a gama de belezas provenientes da natureza que esse belíssimo país possui. Dentre as várias maravilhas naturais, se destaca o “Pic la Selle”. Esse pico conta com uma altitude de 2680 metros.

O Haiti é o terceiro maior país da América Central Insular, também conhecida como Caribe (ficando atrás de Cuba, que é o primeiro em extensão, e República Dominicana). Sua capital, Porto Príncipe, concentra pouco mais de 10% de toda a população do país, que totaliza 10 milhões e 400 mil pessoas. O crioulo haitiano de longe é a língua mais falada, mas também o Francês é uma língua oficial, e tida como única língua, por cerca de um milhão de pessoas no país.

O crioulo haitiano é uma língua falada por 90% da população do país. Essa língua também é falada por alguns outros milhões de haitianos espalhados pelo mundo, inclusive no Brasil. Pelo Canadá, Estados Unidos, e outros país da América Central, existem uma considerável população haitiana, que declaram essa língua como principal idioma. Essa língua foi tida como oficializada pelo padrão internacional, depois de anos de discussão e luta do povo haitiano. Sob a alegação de usufruto de uma cultura própria, ativistas conseguiram a regularização no ano de 1961.

O Haiti tem 0,7% do seu território sob forma aquática, de um total de 27750 Km². A população estima é de cerca de 10 milhões de pessoas, e a moeda oficial do país é o Gourde. O Gourde é uma moeda bastante desvalorizada no cenário mundial, e equivale no segundo trimestre de 2020, a 0,046 reais ( num momento em que o real equivale a aproximadamente 0,2 dólares).

  • A Economia do Haiti

Como já dito anteriormente, o sistema monetário haitiano, é baseado na moeda denominada gourde. Bastante desvalorizada, a moeda reflete um pouco do cenário econômico do país. Com um PIB nominal de 8,91 bilhões de dólares e 852 dólares per capita ( pra se ter uma ideia o Brasil, que não apresenta uma economia muito estável no momento, tem respectivamente 1,8 trilhões e 6,8 mil de PIB nominal e per capita em dólares, aproximadamente), o país que também tem um cenário politico instável, tem refletido uma área em outra.

Atualmente o país enfrenta uma certa escassez de mão de obra qualificada, que tem indicies de melhoria extremamente mínimos com o passar dos anos, segundo o World Factobook. O cenário de desemprego e subemprego, revela que cerca de 70% da população total do país não tem carteira assinada. Isso dá o triste título ao Haiti de país paupérrimo, sendo a nação mais pobre do Hemisfério Ocidental do planeta.

Pra se ter uma ideia, 80% da população local sobrevive em condição financeira considerada pela ONU, como abaixo da linha da pobreza. Em números, 75% da população vive com menos de 2 dólares em 24 horas.

O setor mais aquecido da economia haitiana, é com certeza o agrícola. Produtos como o café, manga, cacau, açúcar e sal são exportados para todas as partes do mundo, e tidos como iguarias. O diferencial que se dá ao fato desses produtos saírem da América Central é altíssimo. Por outro lado a importação de alimentos que não são favorecidos no plantio de seu clima, também é muito necessária. Apenas 20% do arroz consumido pelos haitianos vem do mercado interno, e muitos outros alimentos extremamente necessários como a carne, são importados do mercado externo.

O balanço comercial haitiano era extremamente deficitário até não muito tempo. Com a ajuda externa fornecida pelo FMI (Fundo Monetário Internacional), e autorizado pela ONU, o Haiti conseguiu reduzir a dívida externa drasticamente, que até então correspondia em quase metade do seu PIB anual. Atualmente, cerca de 35% do orçamento anual do Haiti, é composto pela ajuda humanitária internacional. Os maiores doadores consequentemente são os países com maior poderio financeiro, se destacando em números os Estados Unidos, e muitos membros da União Europeia. Um país que tem se destacado nesse cenário de ajuda ao povo Haitiano, é o Brasil. Além de ajuda financeira, nosso país enviou também tropas militares para auxiliar na segurança, e ajudar na reconstrução do país.

Bandeira da ONU

Bandeira da ONU

O IDH do Haiti tem um indicie, que o coloca na posição 145, entre o total de 182 países que se posicionam no ranking. Esse ranking é fornecido pela ONU de tempos em tempos, e leva em conta o desenvolvimento humano através de fatores sócio estruturais como educação, longevidade ( que quantifica quantos anos uma criança tem de expectativa de vida ao nascer), e o PIB per capita. Países com IDH abaixo do índice 0.500, como é o caso do Haiti, estão situados no grupo de IDH  baixo. Os demais grupos são IDH muito alto, IDH alto e IDH médio. A nível de curiosidade, o país com o maior IDH do mundo é a Noruega, seguido de Austrália e Suíça.

  • Terremoto de 2010

Impossível falar deste país sofrido, sem citar a catástrofe que ocorreu em 2010. Um país que foi afetado ao longo de toda sua história por conflitos internos (em virtude dos seus autoritários governos ditatoriais e golpes de estado), também tem um largo histórico de problemas socioeconômicos.

Em 2010 o Haiti sofreu com um terremoto no dia 12 de janeiro. Com uma magnitude de 7.0 na Richter ( que por convenção estabelece, em teoria, um limite de 10), o abalo sísmico atingiu grande número da população, vitimando fatalmente uma grande parte, e deixando outra parte com feridos e em uma situação vulnerabilíssima. Ao longo do país, muitos edifícios demoliram, a exemplo do então palácio do executivo nacional, na capital do país.

O terremoto teve origem em cerca de 10 mil metros abaixo do solo, a cerca de 20 km da capital, Porto Príncipe. Esse terremoto não foi o único, porém foi o mais significativo. Outros dois terremotos de magnitude um pouco menor, aconteceram no Haiti nos momentos posteriores ao primeiro. Pra se ter um ideia, cerca de 50% de todas os edifícios do país foram demolidos pela força dos abalos.

Além das perdas humanas que totalizaram 200 mil pessoas, outras 250 mil foram feridas gravemente. Quase 2 milhões de pessoas ( em um país com população de 10 milhões) perderam seus lares e se tornaram desabrigados. Essas perdas fizeram o país entrar em total colapso em todos os setores. Alem da politica e da economia, outros setores essenciais tiveram refletidos o impacto do terremoto, como a segurança nacional. Muitas pessoas que não tinham saída, iniciaram saques a estabelecimentos. O número de assassinatos por comida e pequenas discussões, aumentaram drasticamente, e a ajuda humanitária internacional se fez mais do que nunca necessária.

No contexto da ajuda humanitária, podemos dizer que o Brasil deu um grande suporte ao Haiti. Cerca de 7000 soldados enviados pela ONU, foram comandados pelas tropas brasileiras, que enviou mais de 1200 soldados ( incluindo médicos e outros profissionais da saúde) para o país devastado pelo terremoto. O Brasil inclusive perdeu algumas vidas, devido a violência extrema que pairava no Haiti naqueles meses.

O Haiti que sempre teve seus problemas internos relacionado a pobreza, até hoje amarga o momento pós terremoto. Contudo vem se recuperando aos poucos, com as ajudas humanitárias e financeiras, somadas com os esforços da ONU.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Negócios

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *