A Globalização Econômica

A globalização da economia mundial ou simplesmente globalização econômica teve seus primeiros passos após a Segunda Guerra Mundial e a Grande Depressão da década de 1930 nos Estados Unidos. Tecnicamente, a globalização na frente econômica se refere à integração dos preços dos produtos, os salários vigentes para as relações de trabalho, as taxas de juros e as taxas de lucro para os padrões dos países desenvolvidos.

O aumento do volume de comércio entre os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento, o aumento de transações de exportação e de importação, o aumento da imigração e a transferência de tecnologia são algumas das principais questões da globalização.

Os Prós da Globalização Econômica

Apesar de alguma polêmica sobre os efeitos nocivos da globalização, como o desgaste da soberania como era enxergada até então, o surgimento da cultura entre fronteiras, a acomodação e assimilação dessa cultura e um grande número de imigrantes nos países desenvolvidos da Europa e dos EUA, a desigualdade na distribuição mundial de renda e a persistência da degradação do meio ambiente, a globalização tem muitas qualidades desejáveis, que teriam sido muito difíceis para se conseguir de outra forma.

A redução de barreiras comerciais entre diferentes países, tanto econômica como politicamente, garantiram que as empresas em todo o mundo possam colher as vantagens das economias de escala com a contratação de material humano mais barato e matérias-primas que não são produzidas internamente. 

O Gigante da Globalização

A China é um exemplo de país que reduziu sua tarifa interna para cerca de 10% atualmente, após a sua admissão na Organização Mundial do Comércio (OMC) em 2001. A lista de bens protegidos, que era de 300 também a essa época foi cortada. A globalização proporcionou o aumento da capacidade de produção em diferentes empresas em todo o mundo, que agora atendem uma base de consumidores mundial, e não regional como antes.

Grandes quantidades de fluxo de bens e serviços dos países desenvolvidos vão para os países em desenvolvimento e vice-versa, fizeram dos tecidos indianos e produtos eletrônicos chineses os mais populares de todo o mundo.

Embora o Japão tenha registrado os maiores ganhos do comércio no período pós-globalização, o país vive atualmente um período de abrandamento, juntamente com seu parceiro comercial, uma vez favorecido, os Estados Unidos. Essa particularidade, indiretamente, levou ao sucesso das economias no âmbito do Sul e do Leste da Ásia, que têm feito a sua cooperação regional entre si mais forte do que nunca, resultando em maiores volumes de comércio entre os países daquela região. 

As Vantagens da Globalização Econômica

A globalização da economia tem o efeito concomitante dos ganhos, uma vantagem comparativa que leva os países a produzir bens que são mais eficientes em termos de custos de produção, fato que leva, por sua vez, a volumes maiores de criação de produtos para um mercado que está cada vez mais amplo e quente.

Enquanto as grandes empresas e redes de lojas no mundo desenvolvidas nos países menos favorecidos têm permitido a transferência de tecnologias melhoradas, o que levou inclusive a exploração dos trabalhadores, principalmente entre os países do terceiro mundo. A globalização da economia mundial teve um efeito importante na transferência do mercado de trabalho para o Sul e o Sudeste da Ásia, onde os salários são menores que a metade do salário das pessoas nos países desenvolvidos. 

A Globalização Econômica e a Tecnologia

A transferência da tecnologia tem facilitado a abertura de vários projetos chave, nos países menos desenvolvidos da Ásia e da África. As melhores competências técnicas que vêm com essas tecnologias ajudam os trabalhadores domésticos em longo prazo, que podem adquirir essa competência no futuro, desenvolver e gerir equipamentos sofisticados de forma independente.

Enquanto países como a Índia e a China experimentaram taxas de crescimento absurdamente maiores, um aumento sensível nos padrões de vida e uma redução geral da pobreza de sua população abriram um enorme abismo entre os que não têm e os que têm crescido exponencialmente com a globalização.

As Diferenças Sociais

A renda per capita urbana era 2,2 vezes maior do que nas famílias rurais em 1990, renda essa que aumentou para 2,6 em 1999 e para 2,8 em 2000. Essa diferença crescente tem sido principalmente atribuída aos desempregados das zonas rurais não serem capazes de encontrar emprego, devido à sua falta de habilidades técnicas e de mesmo de conhecimento escolar.

A globalização tem a dimensão de um mundo cada vez mais polarizado, com as nações desenvolvidas ou ricas usando organizações internacionais e legislações mundiais para impor acordos de comércio e leis de normalização de impostos do mundo em desenvolvimento. Também pode levar a uma colonização cultural para as economias de terceiro mundo. Notadamente, o Acordo Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA) e o Acordo de Comércio Livre do Sul da Ásia (SAFTA) tem sido muito contraproducente nesse sentido e em muitas ocasiões.

A criação de Zonas de Processamento de Exportação (ZPE’S) e Zonas Econômicas Especiais (ZEE) com grande fluxo de investimento estrangeiro direto deve ser avaliada com relação a países específicos e políticas econômicas domésticas que estão gradualmente sendo muito dependente da situação que prevalece em países estrangeiros também devem ser corrigidas, para uma melhor divisão de rendas sociais. 

A Questão Ambiental

A maior industrialização e a circulação de mercadorias e de serviços em todo o mundo estão proporcionando a emissão de enormes quantidades de gases de efeito estufa, que estão causando a degradação ambiental. Com a globalização, as preocupações ecológicas, tais como mudanças climáticas, o aquecimento global e a pesca excessiva nos oceanos podem ser abordados de forma eficaz por todas as nações. Não surpreendentemente, a integração econômica e social pode promover a paz internacional e a harmonia entre as nações, o que ainda parece não estar muito claro na cabeça dos comandantes das maiores potências mundiais.

Por fim, a globalização econômica tem uma série de fatores que mostram que é um caminho essencial a seguir, mas que ainda precisa ser melhor acertado entre duas partes que também são essenciais à sobrevivência da humanidade: a produção descontrolada dos meios de produção das grandes economias globalizadas e a crescente necessidade de cuidado em relação aos recursos naturais, sem o qual não podemos sobreviver. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Medidas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *