Financiamento Universitário

O mercado de trabalho, que já é entendido pelo senso comum que está cada vez mais competitivo, também exige cada vez maior qualificação de seus candidatos. A possibilidade de se fazer um curso universitário parece algo difícil de ser concretizado quando se está fora do mercado de trabalho, ou mesmo estando inserido nele, ocupando alguns empregos que não oferecem a remuneração adequada para arcar com os elevados custos do ensino superior.

Financiamento

Financiamento

Como uma política de incentivo àqueles que desejam realizar um curso superior, mas não dispõem de todos os recursos para tanto, faz parte da política educacional do governo e de algumas instituições privadas, o financiamento universitário, também conhecido como crédito universitário. Diversas empresas são especializadas neste tipo de financiamento e prestam a acessória adequada aos interessados. Até mesmo o Ministério da Educação – o Mec – possui o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), que atua nesta área.
O financiamento universitário funciona de modo que o estudante possa pagar os seus estudos em maior tempo, dividindo as parcelas com um custo menor mas que, geralmente, também importa em juros. O financiamento evita que o aluno se endivide ou tenha que trancar seus estudos, através de um contrato entre a financiadora e o aluno, diretamente. Em paralelo a esta relação estabelecida entre o estudante e a financiadora, existe a relação entre a financiadora e a instituição de ensino, a universidade, de modo que a financiadora arque com os custos do estudo.

Financiamento Universitario

Financiamento Universitario

Neste sentido, algumas financiadoras e universidades têm parcerias prévias, de modo que algumas financiadoras só prestem serviços para determinadas faculdades. Alguns fatores devem ser analisados – além da referida disponibilidade de relação entre a instituição de ensino e a agência financiadora – como, por exemplo, o tempo em que se deseja financiar o curso, se o valor das parcelas estão dentro do orçamento e se os juros cobrados para o financiamento não são abusivos.
Além destes fatores, algumas financiadoras exigem requisitos de ordem subjetiva, de modo a analisar se o estudante preenche o perfil requerido para conceder o financiamento. Neste sentido o programa do Ministério da Educação, por exemplo, requer que o candidato esteja matriculado em curso de graduação em instituição particular, que tenham obtido avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), que a instituição de ensino superior seja participante do programa de financiamento do Ministério e que o estudante tenha feito o Exame Nacional do Ensino Médio – o Enem.
Já a Pravaler, empresa especializada do ramo, prevê não apenas o financiamento da graduação, mas também da pós-graduação e do ensino técnico e que também prevê o preenchimento de alguns requisitos para oferecer o financiamento, tais como a comprovação de renda mínima e a presença de um garantidor para o contrato, por exemplo.

Universitario

Universitario

Para Maiores Informações:

Site do Ministério da Educação destinada ao financiamento: http://sisfiesportal.mec.gov.br/
Site da Pravaler: http://www.creditouniversitario.com.br/

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Financiamento

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *