Passo a Passo para Comprar a Casa Própria

Ah, o sonho da casa própria! Grande parte dos brasileiros busca residência fixa para fugir das cobranças de alugueis, que ficam mais caros de acordo com a preferência de proprietários. Dormir embaixo de um solo que é seu faz toda a diferença para a autoestima da vida. Conheça o passo a passo!

01-Pesquisar

Realize pesquisas no mercado e conquiste informações referentes às principais linhas de crédito, faça a simulação do financiamento. Se os valores corresponderem com o orçamento se faz necessário visitar uma das agências de banco ou financiadores e iniciar conversar com os gerentes, que devem solicitar conjunto de documentos e realizar análise do cadastro no sentido de aprovar as linhas de crédito.

Tenha em mente de que comprar casa própria sem fazer pesquisa de mercado não representa solução ideal. Por exemplo, basta analisar de modo rápido para perceber que uma casa de três dormitórios em São Paulo custa preço superior aos de Minas Gerais, em principal nas capitais, sendo que os dois Estados estão na região sudeste do país. A pesquisa deve ser feita no mesmo passo do orçamento.

02- Capitar Recursos

Capitar recursos pode acontecer de múltiplas formas, desde economia com o consumo e gastos da família como também por conta dos gastos nos finais de semana. Reúna os familiares e procure saber quanto de dinheiro pode ser reservado por mês no sentido de comprar a casa própria.

Não se pode ignorar o fato de que os recursos do FGTS (Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço) podem ser direcionados para comprar o bem. Interessante notar que os recursos podem ser utilizados inclusive para amortizar saldo devedor em decorrência da dívida no mercado imobiliário.

Confira maiores informações ao acessar o link do artigo: Como Funciona o FGTS?

Engenheiros do banco que empresta, por exemplo, a CAIXA precisam avaliar as condições do imóvel. Vale ressaltar que para a segurança dos bancos e dos clientes é feita análise de documentação dos vendedores. Por consequência é analisada a linha de financiamentos adequada e quais documentações são necessárias para complementar as ações à autorização do empréstimo. Ou seja, para usar o Fundo existe certo nível de burocratização que pode atrapalhar o negócio.

Quem tem financiamento de imóveis residenciais no SFH (Sistema Financeiro de Habitação) pode usar recursos na conta vinculada no sentido de sanar parte das prestações por mês, desde que as normas estejam atendidas durante a época da assinatura de contrato.

03-Modalidade de Financiamento

À Vista: Chegou a hora de saber qual a principal forma de pagar. Pessoa que de repente ganharam uma alta quantidade de dinheiro (herança, loteria, entre outros acasos da vida), então se faz necessário optar por pagar a vista e contar com o máximo de desconto possível.

Financiamentos: Na modalidade as pessoas podem pagar a dívida em até trinta anos, método que traz vantagens por conta do longo prazo e desvantagens em virtude das viradas que acontecem na vida, afinal, em três décadas consiste em prazo longo. Tenha a certeza de que as quitações por mês cabem no bolso. Procure abrir conta poupança e injetar dinheiro para os momentos de crise. Tenha em mente de que quanto maior o prazo mais os juros podem aumentar a dívida.

Necessário ter em mente que o financiamento pode apresentar no máximo três prestações com atrasos. Quem usa o recurso do FGTS na modalidade pode quitar as primeiras cotas com 80%, ao passo que cotas restantes ficam disponíveis para pagar a mesma porcentagem de prestações a vencer que por ventura possam atrasar. Medida utilizada como espécie de reservas para pagamento das quitações dos próximos meses.

Imóveis ambicionados à aquisição podem ser adquiridos desde que estejam na região municipal da ocupação de trabalho ou de residência por pelo menos ou ano. Podem ser escolhidas zonas municipais limítrofes que integram a metrópole.

Consórcio: Interessante para quem deseja economizar. No entanto é necessário arcar com os gastos dos alugueis enquanto não acontecem os sorteios ou o final do pagamento no prazo combinado, o que também é longo conforme os planos escolhidos.

Quem deseja construir, comprar ou reformar o imóvel residencial ou comercial pode encontrar valores baixos quando solicitam os serviços da CAIXA ou Banco do Brasil, bancos federais e populares. Quem está interessado decide os valores a serem pagos na Carta de Crédito com parcelas que cabem no bolso. A taxa de administração está entre as melhores em níveis mercadológicos.

04-Investigar o Imóvel

Esse representa um dos pontos principais no sentido de comprar a casa própria. Acontece que a cada dia aumenta o número de reclamações contra construtoras que decidiram vender apartamentos antes de construir. O destaque está por conta das especificações do diâmetro. Ou seja, dizem vender certa quantidade de metros quadrados quando na verdade a espessura está menor do que exige o contrato.

Quem vai comprar imóvel que já está construído deve ficar atento tanto com os aspectos internos como externos. Por dentro se deve olhar para os encanamentos, condições das fiações elétricas, qualidade e estrutura das janelas, entre outros aspectos. Por vezes será necessário solicitar a serviço de avaliadores no sentido de conquistar os melhores preços, em principal quando se pensa em comprar a vista.

No campo externo analise os barulhos que existe tanto de dia como de noite dentro do prédio ou nos arredores da vizinhada. Os índices de criminalidade também são pontos a se considerar porque pode aumentar as outras contas, como, por exemplo, o valor pago ao prêmio anual ao seguro do carro e da casa.

05-Assistência Profissional

Na hora de assinar o contrato para comprar a casa ou fazer o financiamento é quase sempre mesma história. Vendedores induzem que as decisões sejam rápidas, sem que compradores tenham tempo o suficiente para ler todas as letras compostas no contrato.

Por esse motivo também que pode ser útil a presente de advogados especialistas no ramo imobiliário para detectar todos os abusos e irregularidades que existem no contrato. Se pode surpreender como o tamanho de cobranças indevidas que surgem nos termos contratuais visados inclusive sob a ótica ilícita aos olhos da lei.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Financiamento

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *