Como Financiar um Imóvel?

Economistas clássicos dizem que o segredo para viver no capitalismo é ser detentor de propriedades privadas. Quem tem casa própria possui ao mesmo tempo estímulo adicional para seguir evoluindo na vida. A economia vinda do fato de não se pagar aluguel pode trazer benefícios interessantes.

O sonho da casa representa desejo de milhares de famílias. Em cada nova temporada os alugueis sobem a cada nova temporada. Os valores segurem as variações dos juros e inflações. Interessante notar ainda o interesse propiciado pelos empreendedores que buscam imóveis para estabelecer as linhas produtivas das empresas. Para moradia ou empreender, necessário estar atento para não ter problemas no momento de financiar o seu imóvel. Conheça algumas dicas interessantes.

Contrato do Financiamento

Analise o contrato com bastante cuidado antes de efetivar o financiamento. Preferível estar com algum advogado da área para atestar que as regras estão conforme o anunciado, ou mesmo não surjam parcelas adicionais surpresas, tornando os preços finais dos pagamentos mais caros dos que os valores divulgados pelo vendedor.

Por lei, as financiadoras devem explicar todos os detalhes, além de concederem contratos que estejam redigidos de forma clara e objetiva, para qualquer alfabetizado entender sem maiores problemas. Claridade no contrato representa o mesmo que confiança no serviço de empréstimo. Quando ficar em dúvidas, leve alguma cópia do documento para consultores imobiliários de confiança para estar com a consciência tranquila ao confirmar o financiamento.

Modalidades do Financiamento

Na atualidade existem diversos espécies de financiamentos no mercado. Necessário escolher o tipo que mais se encaixa no perfil para que não aconteçam surpresas desagradáveis durantes a cobrança de pagamento das taxas. Atualmente há três modalidades de financiamento: Construtoras, consórcios ou bancário.

Construtora: A maior chance de acontecer golpes este no contrato fechado de forma direta com as construtoras. Além da possibilidade de surgirem parcelas adicionais, pode acontecer atraso na entrega dos lançamentos por causa da falta de verbas da construção. Necessário ficar com a atenção redobrada quando o imóvel comprado ainda está na planta – o barato pode sair caro.

Consórcio: Nos consórcios um conjunto de compradores é reunido no plano organizado pelo banco no qual, ao final dos pagamentos do carne, os participantes podem receber o imóvel, normalmente lançamentos, vistos que a reuniam de nomes jurídicos servem para financiar as construções.

Interessante frisar que acontecem sorteios mensais em que os sorteados recebem a residência antes de amortizar a dívida – nestes casos, os participantes dos consórcios que ganham nos sorteios ainda são obrigados a terminar de pagar a dívida com os valores fechados no início do plano.

Banco: Modalidade que se baseia em captar quantia líquida à realização da compra a vista. Quem solicita deve pagar os empréstimos dos bancos em valores que de maneira usual podem ser divididos em diversos pagamentos por mês, podendo durar até mesmo anos. A incidência de juros deve estar preenchida com qualidade dentro do serviço oferecido por se tratar de quitação que demora longo prazo. O governo com frequência muda a política de taxa de juros, elevando ou diminuindo em alguns meses os pagamentos dos carnes.

Em algumas instituições bancárias é possível contar com empréstimos bancários que levam em conta as regras do Programa Bolsa Família: Famílias que declarem renda inferior a R$ 5 mil podem participar do projeto, solicitando os planos de financiamentos à Caixa Econômica Federal, ou outras instituições participantes. Na primeira fase do programa o governo auxiliou na contratação de financiamentos para maus de um milhões de casas e apartamentos.

A segunda fase está prevista para acontecer até o final do ano de 2014. Previstas distribuição de quase dois milhões de casas próprias. Neste sentido procurar o Programa Minha Casa Minha Vida, pode representar a grande oportunidade de conquistar a casa própria com preços mais em conta do que os cobrados no mercado tradicional.

Simulação e Contas Prévias

Em todos os modos de financiamentos há diversos tipos de simuladores online presente no site das instituições financeiras que prestam serviços ao ramo imobiliário. Procure fazer as simulações e descubra com calma o número de prestações mais adequados diante suas perspectivas financeiras aos próximos anos.

Representa chance inclusive para fazer a pesquisa em diversas instituições diferentes, conquistando menor incidência de juros, e por consequência, valores mais interessantes ao final da compra.

Faça as contas e descubra quais são as condições financeiras da atualidade? Não se esqueça de que os trabalhadores com carteiras assinadas, inscritos por mais de cinco anos nas contas do PIS/PASEP, podem contar com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Trabalho (FGTS). Organize as informações em alguma planilha, compreendendo com claridade quanto dinheiro pode dispor ao mês para pagar as prestações do financiamento.

Quem escolhe a modalidade de financiamento bancário não pode obter prestações que estejam acima de 30% dos valores líquidos mensais recebidos pelos requerentes, que por sinal, não pode ter relações cadastrais negativas de cunho financeiro, ou seja, “nome sujo” na praça. Salário líquido deve ser levado em conta subtraindo a quantia bruta recebia ao mês, subtraída pelas despesas.

Gastos Adicionais

Especialistas dizem que é necessário ainda se programar para os custos extras relacionados com escritura e registro no cartório, valor equivalente a até 3% do imóvel. Sem contar com a quantia que deve ser paga ao ITBI – Transmissão de bens e Imóveis, cujo valor varia por em cada município, média de 2% do preço no mercado.

Procedimentos Básicos para não ter Problemas para Financiar Imóvel:

  1. Escolha a modalidade de financiamento adequado ao seu bolso
  2. Faça as contas e descubra o melhor financiamento do mercado para o seu caso
  3. Consiga o crédito antes de assinar o contrato de compra do imóvel
  4. Atenção com os gastos no cartório e com escritura, equivalente a 3% do valor do imóvel. Programação demandada também à taxa ITBI.
  5. Tenha a certeza de que vai poder arcar com todas as prestações do financiamento. A inadimplência poder trazer a perda total do bem ou quantia investida nele – casos dos consórcios imobiliários.
  6. Se lembre de que quanto mais prazo para pagar o valor final maior será a incidência de juros.

Escrito por Renato Duarte Plantier.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Financiamento

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *