Economia Pós-Petróleo

O mundo sofre por causa da carência de energia. A presença do petróleo representa aspecto escasso e para fazer a extração do recurso fóssil existe a necessidade de explorar de forma que a ecologia fica em cheque, de forma principal quando acontecem problemas por causa de vazamento.

De acordo com estatísticas coletadas por diversos tipos de institutos de pesquisa que realiza estudos do gênero indica que a opinião pública prefere o uso de energias renováveis às de origem nuclear. Por consequência existe maior pressão do público aos Estados Nacionais para incentivar energia limpa em detrimento do petróleo. Aumenta no número de ativistas contra o uso de petróleo e por consequência o mundo se encontra prestes a viver a era da economia pós-petróleo.

Abastecimento do Problema

A grande problemática para acontecer economia pós-petróleo consiste no fato de que o mundo não consegue receber assistência de energia do tipo nuclear, quanto mais de renováveis. Gás, petróleo e carbono ainda são necessários para o fornecimento de energia e por consequência o mundo sofre com problemas no que tange ao aceleramento do aquecimento global gerado por seres-humanos.

Em termos práticos existe maior investimento em pesquisas de tecnologia para evitar o problema. Exemplo interessante consiste na Alemanha que tem programa público que serve de forma principal para fornecer não apenas investimentos às empresas que possuem estruturam que captam energia solar como concede empréstimos aos moradores para que possam comprar equipamentos que com o tempo ficam com preços acessíveis ao público em geral.

Porém, grande parte do mundo não tem economia como funciona da Alemanha e por consequência a queima do carvão representa ponto necessário. As sondas acontecem nos oceanos, o ártico representa novo local em que acontece uma batalha entre ativistas e exploradores em consequência da extração de petróleo que pode resultar no processo de diminuir a quantidade de geleiras, aumentar o nível do mar e colocar em cheque a vida de ilhas e países que se encontram em latitudes baixas. Em consequência dos depósitos de hidrocarbonetos consiste no ato de explodir as montanhas.

Ativistas que são contrários ao uso de petróleo se organizam de forma ativa para defender esse tipo de ideal, mas poucos são aqueles que apresentam soluções plausíveis no sentido de implantar ao mundo de forma global. Existem referências que estão presentes em relatórios de pesquisa, mas poucas pessoas possuem a capacidade de compreender de forma clara e objetiva os escritos especializados.

Rede Britânica de Rochas Betuminosas

A Rede Britânica de Rochas Betuminosas representa em instituição que traz informações de qualidade sobre a possibilidade de tornar o mundo sustentável e ao mesmo tempo demonstra os problemas que podem acontecer ao levar em conta a não tentativa de explorar o mundo de forma sustentável. De um lado existem fatos explicados de forma cristalina sobre como melhorar o nível de sustentabilidade em termos de energia. Por outro, há relatos que indicam um futuro dramático no que tange ao caminho de energia composta por carvão e petróleo, dados que são indicados de acordo com a Agência Internacional de Energia.

Alertas e Realidade!

Para que o globo terrestre atinja um nível de sustentabilidade de forma qualitativa e global não bastam apenas os alertas importantes que indicam a necessidade. Em termos gerais o planeta necessidade partilhar de modo justo as energias sustentáveis ou possibilidade de forma igualitária. Não adianta poucos locais estarem com energia limpa quando na verdade grande parte do mundo não está com o mesmo pensamento.

Também existe a questão de diminuir o nível de consumismo. Ou seja, países ricos precisam reduzir o ritmo de intensidade no consumo ao sentido de tornar o mundo com maior caráter sustentável e menos chances de acontecer aquecimento global por fatos gerados em consequência dos atos da humanidade.

Nações ricas também precisam incentivar de forma financeira ou com conhecimentos tecnológicos as possibilidades de desenvolver de forma sustentável a energia dos países menores, ao passo que na verdade, no quadro geral da atualidade, Estados grandes disputam entre si para explorar petróleo ao invés de se unir em busca do ideal sustentável.

O petróleo representa uso não apenas para abastecer usinas de energia ou motores de veículos como também em consequência de produzir outros tipos de produtos usados na atualidade, caso dos sacos plásticos, por exemplo. Nesse sentido, a economia pós-petróleo deve conscientizar o público em geral sobre a necessidade de não usar esses tipos de produções como forma de armazenar itens consumidores em supermercados.

Para o mundo pós-petróleo se tornar realidade existe necessidade de sociedade em geral se unir em busca do mesmo ideal. Enquanto poucos lucrarem com a exploração petrolífera e o globo terrestre não modificar os padrões de consumo, poucas são as chances de aconteceram mudanças no cenário global. Esse pensamento depende da capacidade que cada pessoa possui ao gerenciar o consumo interno de forma sustentável, economizando os gastos com eletricidade e se transformando em consumidores sustentáveis.

De fato, ainda não existe um modelo seguro a seguir. Na prática existem diversos tipos de ideais que se convergem, mas não entram em consenso em certos pontos. As grandes potências apenas ficam no discurso sustentável quando na prática não injetam investimentos de pesquisa para modificar o mundo, apenas a mudar de forma mínima as práticas internas, o que prejudica aos anseios de economia pós-petróleo.

Entretanto, embora existam caminhos longos a serem perseguido à frente, não se pode ignorar o fato de que também há sociedades que demonstram exemplos no sentido de usar tecnologia que consegue substituir o uso de carvão e petróleo e de forma prática colaborar para melhorar a economia pós-petróleo.

Existe a estimativa de que no futuro a realidade pode ser diferente ao levar em conta os efeitos do aquecimento global e os danos que são gerados por causa da extração e uso de energia que se baseia no recurso fóssil. Ativistas lutam para que essa realidade se torne de fato algo a se respeitar entre as grandes potências que precisam embarcar de forma concreta a estimular o mundo com tecnologia e desenvolvimentos sustentável.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Mercado

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *