Operar Vela Por Vela

Todos sabemos que as transações econômicas são muito importantes para que o planeta sobreviva nos dias de hoje. Isso é dito porque, com os nossos ancestrais, que viviam nômades pelos variados territórios da superfície do planeta, não tinham noção do que era viver em sociedade e, também, desenvolver laços econômicos uns com os outros.

Foi apenas com o sentimento de comunidade, de sedentarismo (isto é, se fixar em uma região e fazer prover dela os alimentos e outros itens necessários para a sobrevivência) é que os nossos ancestrais deram conta de que poderiam estreitar relações econômicas com as outras de sua espécie. Por exemplo, podemos identificar como sendo uma das primeiras transações econômicas dessas pessoas o hábito de trocar alimentos / produtos artesanais, nos quais passaram a ter um grande impacto, tanto social como, obviamente, econômico.

Com as primeiras transações, veio a necessidade de se estabelecer um parâmetro de troca de informações e produtos. Com isso, podemos dizer que as primeiras cédulas de dinheiro, inclusive as moedas, começaram a ganhar o lugar das trocas. E é assim até hoje, com o cartão de crédito e débito tomando o lugar, cada vez mais, do dinheiro físico.

Mas, em se tratando de economia, devemos ter um pouco de cautela ao falar dela. Isso porque,  ela é bastante complexa, envolvendo não somente os negócios e o dinheiro, mas a sociedade como um todo. Sabendo manipular a economia a seu favor, muitos conseguem sobreviver apenas vivendo de investir e investir em locais rentáveis, tais como Bolsa de Valores, por exemplo.

Ultimamente, você deve ter acompanhado no blog vários textos falando um pouco mais sobre as técnicas existentes para poder fazer de você um investidor nato. Pois bem. Realmente, existem várias ferramentas que podem deixar essa tarefa muito mais fácil para você. E, uma delas, é o caso da Vela por Vela ou, também, conhecida por Vela Japonesa. Nesse artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre essa técnica, além de informações interessantes sobre essa aplicação.

A Vela Japonesa

As velas japonesas nada mais são do que uma técnica de análise de gráficos que já vêm sendo de uso dos japoneses desde meados do século XVIII.  Apesar de bem antiga, tal técnica só ficou conhecida de forma global a partir dos anos 1990, quando o Ocidente passou a desenvolver a técnica. Desde a sua introdução para as demais partes do planeta, ela vem sendo uma ferramenta cada vez mais utilizada na economia, para tentar entender um pouco dessa dinâmica.

A Vela Japonesa

A Vela Japonesa

O engraçado é que o termo “velas” tem sentido diferente mas é relacionado aos mesmos objetivos. Num primeiro momento, “velas japonesas” remetem ao sistema para poder expor informação sobre valores e futuros nas análises com gráficos. Já a segunda referência está intimamente ligada ao conceito de identificar combinações que já foram conhecidas ou ainda estão no anonimato.

As técnicas envolvidas na vela japonesa podem ser tanto combinadas quanto utilizadas separadamente. Isso vai depender de como você irá proceder na análise.  Quando da construção dos gráficos, as velas serão utilizadas, principalmente,  para servirem como as barras dos gráficos convencionais.

Essas velas são responsáveis, em suma, de mostrar aos traders e investidores as situações dos mercados, tanto na abertura dos pregões quanto no fechamento.  Os níveis máximo e mínimo de preços também são averiguados por meio dessa ferramenta.  Como já dito acima, as velas fazem o mesmo trabalho dos tradicionais gráficos de barras, sendo ainda mais eficiente e interativo. Especialistas dizem que as velas são mais fáceis de serem interpretadas do que os gráficos de barras (e olha que esses gráficos não costumam ser difíceis).

O funcionamento das velas japonesas está totalmente atrelado aos dados que são interessantes aos investidores e aos traders, que são os preços máximos e mínimos, preços flutuantes, preços na abertura e no fechamento do pregão, entre muitas outras coisas.  O seu funcionamento comprova a facilidade que fora descrita anteriormente: existem duas velas, com cores diferenciadas (verde,vermelha,preta e branca), nos quais elas irão indicar se ativo que você estava de olho subiu de preço ou decaiu nos intervalos.

Ou seja: de um lado, a vela (de cor verde ou branca) irá te alertar sobre as tendências de alta no preço do ativo, enquanto que a vela de cor preta ou vermelha irão alertar sobre as tendências de queda no preço. O corpo da vela se caracteriza como um retângulo, indicando as variâncias no preço desde a abertura do pregão até o encerramento do mesmo.

Voltamos a afirmar: o uso da vela é bastante versátil pois ela pode -se adaptar às suas necessidades. Por exemplo, se você quiser velas para poder analisar um período de trinta minutos, pode fazer tranquilamente. Quer analisar semanas? Ótimo, vai em frente. Meses? Tranquilo! Ou seja, mais que  comprovada a flexibilidade dessa ferramenta.

E é aí que entra o tema desse artigo: a operação vela por vela. A ideia generalista dessa ferramenta é fazer com que as velas trabalhem em conjunto, dando resultados que podem ser muito mais benéficos do que somente uma análise em separado. Mas saiba que,  analisar vela por vela também pode ser interessante, porém envolvendo mais riscos por conta da falta de um suporte que seria uma vela adicional, por exemplo.

O que nos ajuda a interpretar as velas são os seus corpos e as sombras refletidas no gráfico, que podem dar diversas interpretações para o que está a analisar os gráficos.

São chamados dias longos quando, por meio da análise das velas, percebe-se que os preços na abertura e no fechamento tiveram uma diferença gritante. A mesma lógica para os “Dias Curtos”, onde a diferença já não é tão relevante assim na abertura e no fechamento.

As velas de carrapeta são conhecidas por apresentarem um corpo menor do que a sua própria sombra. Economicamente falando, essa vela tem um significado de indecisão, pois  indicam que não há como ter uma afirmativa do que pode acontecer dali para a frente.

Existem outros tipos de comportamentos de vela também, como os que possuem o tamanho da linha da vela original.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Investimento

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *