Passo a Passo Para se Livrar das Dívidas

As dívidas podem ser sintomas que retiram os sonhos e fazem com que o corpo fique improdutivo no dia seguinte. Se endividar não é problema, mas sim não ter dinheiro para quitar as dívidas. Os bancos confiam e disponibilizam créditos, mas a confiança pode diminuir em níveis consideráveis quando as faturas não são quitadas de maneira correta.

Necessário estar com a consciência preparada. Bancos disponibilizam crédito para se pago de forma abundante e superfaturam quando existem atrasos no pagamento. Após sair da lista de negativos procure fazer o máximo possível para sair da situação. O consumo além da conta apenas deve existir nos casos de extrema urgência, como problemas de saúde ou quitações de dívidas com bens como garantia.

01-Reserva Financeira e Cartão de Crédito

Bancos facilitam a vida das pessoas com a antecipação de sonhos na compra via crédito, ferramenta com poder de compra interessante entre as pessoas que sabem gastar de maneira correta. Por incrível que pareça às dívidas de valor, como as compras de casa própria ou financiamentos de veículos, não são consideradas principais motivos do endividamento.

O que traz peso no orçamento está nos descontrole de pequenos déficits que ficam mais altos em níveis consideráveis. Em termos gerias a dívida no carão de crédito traz a maior incidência de juros no mundo. Quitações atrasadas do crediário e juro do cheque especial também são responsáveis por trazer incidência alta nas cobranças adicionais.

02-Endividados Controlados e Descontrolados

Endividados descontrolados são considerados os inadimplentes, ou seja, que possuem dívidas atrasadas inclusive para realizar os pagamentos dos gastos cotidianos, caso dos cartões de crédito e cheque especial. Pessoas que estão nas respectivas situações devem rever a vida financeira de maneira rápida e lógica para não ficarem afogadas de maneira eterna por déficits financeiros.

Por outro lado existe a categoria dos endividados e controlados, que realiza o pagamento de prestações dos financiamentos e colocam as contas em dia sem entrar na armadilha do cheque especial e quitando as faturas de crédito em dia.

Quando as quitações de dívidas cabem dentro do orçamento não existe preocupação. Se este for o caso vale ressaltar que se faz necessário fazer reservas financeiras para evitar futuros problemas que impedem de pagar futuros imprevistos no orçamento. Caso haja imprevisões e não exista dinheiro devem acontecer grandes problemas pela frente. Atrasos de pagamentos acarretam incidência de juros de mora e multa que pode inclusive levar o CPF da pessoa devedora para o cadastro de inadimplentes.

03-Solicitar Empréstimos

A última medida que deve ser realizada como alternativa de emergência está na solicitação de empréstimos para pagar a dívida. Tome cuidado para a nova dívida contraída não se tornar impagável. Procure separar em parcelas com valores que não consumam toda a renda conquistada ao mês. Não se esqueça de que existem os pagamentos das contas básicas no mês, como as contas de serviços básicos e compras no supermercado.

04-Investigue as Motivações do Endividamento

Não basta idealizar em reservar o décimo terceiro salário para pagas às dívidas. Na verdade se faz necessário descobrir a fonte do endividamento. Algumas vezes os valores podem estar distribuídos em diversos tipos de compras. Com a prática existe combate não apenas contra os efeitos, mas também para evitar inadimplência.

Após fazer a identificação da principal fonte de desequilíbrio financeiro representa passo necessário colocar as receitas e despesas por mês no sentido de ampliar a compreensão dos excessos financeiros. Procure reunir a família residente dentro de mesma casa e discuta o orçamento para alcançar soluções prática em conjuntos. Cortando poucos excessos de cada integrante é possível diminuir os valores gastos em níveis consideráveis.

5-Descontando Despesas em Excesso

Primeiro realize os gastos supérfluos, ou seja, aquelas despesas que não afetam de maneira direta no bem-estar e autoestima familiar. Necessário ter em mente que cortar os gastos com cabelereiros entre as mulheres pode abalar a estima no mesmo passo que a economia do homem que deixa de ir ao estádio para assistir o time de coração. Em termos gerais as contas supérfluas devem ser analisadas conforma as regras de cada família. Porém, com certeza é possível diminuir os gastos com lazer, gás, telefone, luz e supermercado, por exemplo.

6-Recursos Adicionais para Amortizas Dividas

Pessoas com valores pequenos em dívidas que ainda estão em atraso pode utilizar recursos extras. Parte de trabalhadores com carteira assinada aprecia a ideia de reservar o décimo terceiro para pagamentos de empréstimos solicitados antes de chegar dezembro. Os serviços são solicitados de maneira principal para quitar dívidas com cartão de crédito e cheque especial.

Quem sabe neste ano seja necessário vender dez dias de férias para ganhar mais dinheiro no sentido de exterminar as dívidas. Existe ainda a possibilidade de procurar pequenos trabalhos freelance para adicionar renda extra. É possível inclusive abater valores do IPVA e IPTU com créditos como a Nota Fica Paulista ou Paulistana.

7-Renegociar Dívidas

Quem possui dívidas atrasadas podem tentar realizar negociações com os credores, de maneira principal se o nome estiver com risco de entrar no cadastro de inadimplentes. Depois de fazer certo tipo de folga procure os credores e tente fazer o pagamento com diminuição das parcelas ou incidência de juros.

Interessante notar que as renegociações podem ser feitas de maneira pessoa ou com assistência de qualquer órgão de defesa do consumidor. Existem empresas que disponibilizam inclusive serviço de negociações de dívidas oferecido via internet. Casos os devedores aceitam se faz necessário começar a imprimir os boletos e realizar pagamentos conforme as novas condições.

08-Foco nos Pagamentos Essenciais

Necessário ter cabeça filha para pagar as dívidas, de maneira principal quando existe montante devido em excesso. Não adiante nada saldar o cartão de crédito se não existe dinheiro em caixa para pagar a conta de luz, ou mesmo no supermercado. Na sequência a preocupação deve ficar atenta à quitação dos empréstimos ou renegociações das dívidas que possuem bens como garantias.

Depois se faz necessário realizar o pagamento das dívidas que trazem juros maiores, como as existentes no cartão de crédito e cheque especial. Finalmente, procure resolver déficits financeiros com juros menores e sem bens atrelados no acordo.

Escrito por Renato Duarte Plantier.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Dinheiro

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *