Dólar Americano

Conhecido como dólar americano, o dólar emitido pelos Estados Unidos, é usado em todo o planeta seja em reservas internacionais ou mesmo circulando pela economia de algumas nações. O controle da emissão das notas dessa moeda é realizada pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

A nomenclatura dólar vem da palavra thaler que é uma forma simplificada de Joachimsthaler que por sua vez é uma moeda feita de prata. A primeira vez que essa moeda foi cunhada foi no ano de 1518 usando prata retirada das minas que ficavam situadas perto da cidade de Joachimsthal (“Vale de São Joaquim”).

Conhecendo as Abreviações da Moeda

O dólar americano utiliza o código ISO 4217 que tem como significado United States Dollar. Já o Fundo Monetário Internacional utiliza US$ como abreviação da moeda, aliás, essa abreviação é muito utilizada em todo o planeta de maneira a se referir especificamente a moeda dos EUA.

A escrita dos valores de dólares pode ser feita ainda usando o símbolo $ colocado antes do valor numérico para o dinheiro dos estadunidenses. Esse símbolo consiste numa evolução que começou no final do século XVIII em que se usava a sigla “os” que vinha de peso. Basicamente o “p” e o “s” começaram a ser escritos um sobre o outro o que originou esse símbolo $.

História Alternativa da Origem do $

Existe ainda outra explicação que diz que o símbolo viria das Colunas de Hércules que está presente no brasão espanhol da moeda espanhola que era produzida no Novo Mundo em países como México, Peru e Bolívia. Basicamente as colunas presentes nas moedas de prata criariam a forma de duas barras na vertical juntamente com uma faixa de pano que teria a forma do “S”.

U e S

Existe por fim uma terceira história de como teria surgido o $, nessa história acredita-se que eram usadas as letras maiúsculas U e S escritas ou mesmo impressas sobrepostas. Trata-se de uma história não muito plausível uma vez que o $ já era usado antes da formação dos Estados Unidos.

Dólar Americano e Suas Subdivisões

A subdivisão do dólar americano é de 100 cêntimos ou mesmo 100 dimes, contudo, hoje em dia só é utilizado com o objetivo de se referir a moeda de 10 cents. É possível encontrar moedas e notas de um dólar, contudo, é muito mais fácil ver notas. Quantias menores que um dólar são emitidas somente na forma de moeda e as quantias maiores existem em notas que tem sua emissão feita pela Reserva Federal (Federal Reserve).

O Dólar Americano no Pós-Segunda Guerra Mundial

A Segunda Guerra Mundial mudou severamente a lógica mundial, pois até o ano de 1944 – em que foi realizada a Conferência de Bretton Woods – existia grande dificuldade de fazer comparação do dólar americano com outras moedas. Essa dificuldade se tornou ainda mais evidente pelo fato de que a guerra abalou os países europeus.

Até aquele momento as cotações eram feitas tendo como bases as reservas de ouro de cada nação, dessa forma o ouro era o parâmetro universal. Nesse momento os EUA já tinham se consolidado na posição de nação mais importante do mundo e dessa forma houve a ideia de fixar o valor do grama de ouro em dólares.

Esse sistema foi usado até o começo dos anos 1970 que foi um momento em que o dólar estava passando por uma grande desvalorização. No ano de 1971 o dólar não podia mais ser convertido em ouro. Devido a melhoria da tecnologia foi possível tornar as negociações mais eficientes e ágeis surgindo então o chamado câmbio flutuante que tinha as moedas de vários países. Dessa forma surgiu o Forex.

A Circulação da Moeda Fora dos EUA

No ano de 1995 havia a circulação de mais de 380 bilhões de dólares americanos sendo que dois terços disso estava circulando fora do seu país de origem. Já no ano de 2004 o valor chegou a 700 bilhões em circulação e metade estava em outros países. O dólar é usado em vários países além dos Estados Unidos. Em alguns países a moeda oficial é o dólar estadunidense.

Dolarização da Economia no Brasil

O fenômeno conhecido como “dolarização da economia” era bem visto por especialistas em economia no Brasil nas décadas de 1980 e 1990. Os especialistas acreditavam que esse efeito conseguiria romper com a inflação que já era chamada de hiperinflação. Ao usa o dólar americano como lastro da moeda nacional o país poderia se livrar dos terríveis efeitos da inflação.

Contudo, para outros especialistas essa não era a melhor saída uma vez se tinha observado o sofrimento da Argentina que não conseguia pagar as suas dívidas tendo que deixar o sistema de lado. Atualmente, existem alguns especialistas que se referem ao Plano Real como sendo um processo de dolarização da economia nacional.

Isso porque a URV (Unidade Real de Valor) era cerca do mesmo valor de 1 dólar. Depois que o real foi desvalorizado em 1999 aconteceu o desligamento da moeda brasileira da moeda dos EUA tendo então a adoção do câmbio flutuante.

Notas Que Saem de Circulação

No ano de 1946 foi encerrada a produção de notas de valores acima de US$ 100, no ano de 1969 essas notas foram retiradas de circulação. Uma curiosidade é que o presidente estadunidense, Richard Nixon, retirou essas notas de circulação pelo fato de que elas eram usadas pelo crime organizado.

Os bancos costumavam usar essas notas em suas transações, contudo, com o surgimento de transações eletrônicas as notas não eram mais necessárias. Dentre os valores de notas acima de US$ 100 que existiam estavam 500, 1.000, 5.000, 10.000 e 100.000. A renovação da moeda estadunidense continua até os dias de hoje tendo sido lançadas notas novas de US$ 10 a US$ 100. O projeto gráfico das notas foi renovado, porém, as notas antigas ainda tem valor e somente são retiradas de circulação quando estão velhas.

Sorte?

Muitas pessoas tem uma nota de US$ 1 dólar na carteira por acreditar que isso lhes trará sorte financeira. Quem sabe é uma nota dessas que está faltando na sua carteira para mudar a sua sorte?

O dólar é a moeda emitida pelos Estados Unidos, utilizado no mundo todo, com livre circulação em alguns países, sua expedição é controlada pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

Até 1944 era difícil determinar o valor do dólar em comparação a outras moedas, geralmente as cotações se baseavam nas reservas em ouro dos países, a partir daí foi estabelecido um padrão em que o grama de ouro teria um valor fixo em dólares. Nessa época os Estados Unidos já era a maior potencia mundial.

Em 1946 foi encerrada a produção das notas superiores U$ 100, o uso ilícito das notas fez com que o Presidente Richard Nixon proibisse o uso das notas em 1969 e assim elas foram retiradas de circulação. Com as transações eletrônicas notas com valor superior U$ tornaram-se desnecessárias.

Esse sistema durou até o inicio da década de 70 quando a moeda sofreu uma séria desvalorização, causado pelo acordo original. Em 1971 o dólar deixou de ser conversível em ouro e passou a ser negociado através do câmbio flutuante. Nesse período nasceu o Forex.

De 1980 a 1990 muitos economistas apostou na dolarização da economia brasileira como forma de romper o círculo vicioso da hiperinflação, outros economistas não viam com bons olhos essa dolarização brasileira, principalmente quando viram a Argentina sofrer com a falta de pagamento e abandonar o sistema.

O sonho de dolarização brasileira acabou quando houve a desvalorização do Real em 1999 e a adoção do câmbio flutuante.
Atualmente a cotação do dólar é atualizada de 10 em 10 minutos, o cálculo da variação é feito a partir da comparação entre o valor de venda atual e do dia anterior.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Moedas

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *