Empresas Mais Ricas do Brasil: Petrobrás e Vale

Brasil está entre as dez maiores economias do mundo em consequência também das empresas ricas. Não se pode ignorar o fato de que grande parte dos empreendimentos do gênero está na esfera estatal.

Petrobrás: Empresas Mais Ricas do Brasil

A empresa tem operação em quase trinta países e tem o reconhecimento em nível mundial como uma das maiores exportadoras de petróleo do globo terrestre. De acordo com slogan o empreendimento trabalha com responsabilidade não apenas ambiental como também social. As pesquisas são intensas ao ponto de realizar diversos tipos de descobertas importantes, como no caso do rio subterrâneo do Amazonas que nasce nos Andes peruanos e desagua Atlântico, ou mesmo o pré-sal que já gera disputa entre poder público por causa dos royalties.

De acordo com a Agência Brasil e conteúdo informativo da Bloomberg representa o segundo maior empreendimento do globo terrestre que trabalha no setor de energia, notícia que credencia o empreendimento ao levar em conta que o mundo sofre por conta de carência energética. Ganhou notoriedade em nível mundial ao que se refere para o nível de capitalizar na história das Bolsas do mundo quando gerou valor aproximado de US$ 73 bilhões.

Por causa do valor o presidente Lula aumentou o nível de notoriedade no mundo. O presidente petista começou a usar o slogan denominado “nunca na história mundial” não apenas para explicar o fenômeno como também para cutucar FHC. Durante a época de Fernando Henrique Cardoso no poder começaram os boatos de privatizar a Petrobrás, o que gerou críticas a se considerar sob a ótica negativa. Aconteceu a redução das ações, mas o presidente não seguiu em frente com o processo de privatizar por causa de pressão da opinião pública. A sede principal da empresa se encontra no Rio de Janeiro. O nível de solidez do empreendimento faz pessoas comprarem ações e apenas venderam no momento de aposentadoria ao levar em conta que representa uma espécie de segurança ao futuro.

Diversos aspectos foram importantes na antecipação da criação do empreendimento. Depois da Segunda Guerra Mundial o presidente Getúlio Vargas percebeu que existia a necessidade emergencial do Brasil criar empresa nacional para começar a explorar o petróleo que esteve em alta na grande parte do mundo. Foi durante os programas de nacionalizar o país em nome de Soberania nacional que a Petrobrás foi criada.

Um ano depois de finalizar a Segunda Guerra Mundial de forma oficial aconteceu a promulgação de nova Constituição Nacional. Junto com as regras também existiu a necessidade de começar a explorar o petróleo em solo nacional em consequência do efeito de lei ordinária. De acordo com as especificações também existia a possibilidade de empresas internacionais explorarem o recurso mineral em terras nacionais.

Três anos depois de acaba a Segunda Guerra Mundial o presidente da época, Eurico Gaspar Dutra iniciou estatuto no sentido de aumentar a participação do setor privado no setor de combustível. Não se pode ignorar o fato de que durante a época não existia ao redor do mundo empreendimentos que se relacionam com a prática de explorar e por consequência a ala nacionalista do Congresso não concordou com o projeto em si.

Interessante notar que os nacionalistas também não concordaram ao levar em conta de que o projeto ajudaria a enriquecer as finanças de multinacionais em detrimento da soberania nacional. Durante o período no mundo existiam apenas sete empreendimentos que exploravam petróleo de forma global, visto que cinco faziam parte do oligopólio norte-americano que crescia após estadunidenses vencerem o conflito mundial e impulsionarem o capitalismo como padrão monetário dominante no mundo.

Começou então a campanha “O Petróleo é Nosso” impulsionado também por Monteiro Lobato no sentido de criar empreendimento nacional para fazer o trabalho de extração. A opinião pública começou a crescer nesse sentido e o poder público instituiu no ano de 1953, estabelecendo assim a criação da Petrobrás de forma oficial.

Vale do Rio Doce: Empresas Mais Ricas do Brasil

Embora tenha sido privatizada vale ressaltar que a Vale representa a segunda maior empresa com atuação em terras nacionais. Representa uma das maiores mineradores do mundo e estabelecer a produção no território de Minas Gerais. Um das maiores controversas que existe do empreendimento se encontra no fato de o poder público ter privatizado se levar em conta o verdadeiro potencial que existe nas reservas de ferro. A venda apenas levou em consideração as quantias que se referiam à infraestrutura no sentido de explorar.

Não se pode levar em conta que o Consenso de Washington ajudou em nível a se considerar para a aceitação política sobre a privatização da Vale. Interessante notar que de acordo com o Consenso o FMI criou regras no sentido de estimular a privatização das estatais ao redor do mundo no sentido de ajudar a desenvolver a economia mundial sob a ótica do mercado capitalista. Como os Estados Unidos se encontram na primeira posição entre os países mais ricos, a medida iria beneficiar o país para continuar a comprar empreendimentos públicos de outras nações e continuar a mandar na esfera da geopolítica e neocolonialismo. Esse tipo de prática se estabeleceu no final dos anos setenta do século XX.

Embora exista o consenso por conta das políticas neoclássicas e o reconhecimento de que o Brasil não tem infraestrutura e tecnologia para explorar com melhor quantidade e qualidade o minério, parte da opinião pública criticou com força o poder público por fazer a venda tida por pensadores como negócio irregular. Existem críticos que indicam ter acontecido à venda de forma irregular em no que tange à avaliação do potencial. Em termos práticos o regime ditatorial vendeu o país e por consequência simplesmente abriu mão de explorar com qualidade nas reservas estratégicas de minério de ferro.

Como a venda a aconteceu durante o regime ditatorial não existiu a possibilidade de debater a temática de forma democrática. Especialistas indicam que as reservas no local de exploração tem oferta para longos séculos e por consequência o empreendimento gera lucros que não segue para o poder público federal do Brasil.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Mercado

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *