Setup Mini Índice 5 Min

Todos sabem que a economia é um dos motrizes que fazem a humanidade sobreviver nos dias de hoje. E isso começou a ter resultado quando os seres humanos passaram a perceber a possibilidade de poder fazer comércio com aquilo que ele possuía. Nascia, também, a noção de propriedade. Como todos devem saber, os primeiros ancestrais humanos tinham o hábito de apenas caçar para poder sobreviver, sem ligar muito para outros detalhes. A partir do momento do desenvolvimento  da consciência de que eles poderiam se fixar em um local, domesticar animais para poder servir como alimento futuramente e, também, noções de agricultura fizeram com que o ser humano deixasse a vida nômade empreendida e passasse a ser sedentário, se fixando em uma região e, aos poucos, constituindo uma civilização.

Não podemos deixar de falar, também, que um elemento que fora descoberto ajudou muito nessa percepção: o fogo. Ele ajudou, entre outras coisas, aos nossos ancestrais a se protegerem e, também, passar a cozer os alimentos, deixando-os mais saudáveis para a alimentação.

Com esse sedentarismo e a noção de propriedade, os primeiros sinais que a civilização iria ser econômica começou quando os seres humanos perceberam que poderiam realizar trocas entre si. Ou seja, um alimento que esteja faltando aqui, ou um outro produto que possa ser trocado por algo que a pessoa tem em excesso, enfim. Assim, as primeiras trocas foram realizadas, se fortalecendo com o passar dos séculos. Depois que a troca desses produtos foi ficando mais dificultada, era hora de mudar para um dispositivo mais eficiente. Assim, as primeiras moedas, confeccionadas com metais preciosos, começaram a chegar ao mercado. Posteriormente, as primeiras cédulas de dinheiro vieram ao mercado econômico, estando presentes até hoje. Atualmente, tanto as cédulas quanto as moedas estão entrando em declínio, perdendo espaço para novas tecnologias, como o cartão de crédito.

Por fim, a economia é um grande indicador de que algo vai bem ou não em um país. Por exemplo, se a economia vai bem, é bem provável que os outros indicadores, como os que indiquem o desenvolvimento humano e o nível de satisfação dos habitantes também vá.  O mesmo sentido é empregado ao inverso desse tipo de pensamento.

Em se tratando de economia, não podemos deixar de falar dos investimentos que são realizados mundo a fora, em casas especializadas nessas atividades ou nas diversas bolsas de valores existentes no planeta. Para aquelas pessoas que estão começando agora no mundo dos investimentos, existem diversas ferramentas disponíveis para poder encaminhar essas pessoas que desejam fazer esse tipo de atividade, como os mini índices. Vem com a gente conhecer um pouco dessas ferramentas.

O Setup Mini Índice 5 min

Quando se trata de investimentos, o mote do negócio é que não se pode vacilar, pois um vacilo pode te custar muito caro. É importante ter em mente como o sistema funciona, para que você não venha a ter problemas futuramente. Inclusive, alguns investidores já antigos aconselham sempre a uma pessoa que esteja querendo entrar no mundo dos negócios e investimento é de que, nas primeiras atividades, ela invista pequenas quantidades de dinheiro, para poder pegar a dinâmica do negócio e, assim, poder se aventurar, aos poucos, nesse mundo.

É válido lembrar que, praticamente, todos os setups que tratam com economia possuem uma condição de existência (como, por exemplo, se o gráfico tal, se o IFR estiver em algo, etc.). Os setups nesse estilo fazem parte da maioria da vida dos investidores e dos traders. Um novo estilo de setup passou a ganhar a confiança dos investidores, sobretudo dos mais experientes. Uma diferença entre esses setups é que não há a necessidade de ficar olhando as mudanças acontecerem a cada momento, bem como não é necessário ter vários monitores em cima de sua bancada para acompanhar o desenrolar das ações, os seus picos e os seus decréscimos. Além desse novo setup, que é o mini índice ser bastante simplificado em relação às suas funcionalidades, o setup apresenta o melhor, que são os seus resultados.

Ao ver todo esse depoimento, você pode até chegar a desconfiar dessa ferramenta, com muitas qualidades e promessas sem muitas contrapartidas. Mas, é importante ter esse “pé atrás” com o setup, pois você terá maior prudência ao utilizá-lo, sem ter outros problemas relacionados com isso. Uma das coisas boas é que, como o setup é bastante utilizado, é bem fácil encontrar gráficos de transações antigas que foram realizadas na internet, para que você tenha acesso aos dados e perceba o quão útil pode ser tal ferramenta. Uma outra característica desse setup é que não precisa gastar muito tempo para poder realizar os investimentos, gastando no máximo, cinco minutos para tal atividade.

Como Posso Começar Com Investimentos?

Quando se fala de investimentos, muitas pessoas acreditam que se trata de uma atividade muito difícil de se fazer, por conta dos riscos envolvidos nesse caso. Mas, o que essas pessoas não saibam, talvez, é que nós podemos começar nossos investimentos sem usar ferramentas muito complexas. Por exemplo, a poupança do banco, ainda que renda menos, é uma fonte de investimento, no qual você deixa o seu dinheiro render certas quantias por conta do uso do seu dinheiro pelo banco. Quanto mais recursos você alocar a essa poupança, melhor para os rendimentos.

Sabe aquele cofre que você já está lotando de moedas há anos? Também é uma forma de investimento, embora não renda juros por conta da não movimentação do dinheiro. Podemos achar irrisória uma moeda de um real, mas, quando as guardamos nos cofres, o seu valor vem a superfície com as outras moedas que estavam armazenas por lá. Por exemplo, no sul do Brasil, um jovem juntou moedas de um real por sete anos, até que conseguiu juntar dinheiro suficiente para poder comprar seu primeiro carro, que era um fusca.

Mas os economistas condenam “guardar” (a não ser em bancos ou instituições financeiras) o dinheiro por períodos muito longos, já que, segundo eles, quando o dinheiro não circula, vários transtornos podem ser causados, tais como uma desvalorização do dinheiro e, com menos dinheiro em circulação, a impressão de mais moeda pode aumentar a inflação.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Investimento

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *